labradornews_t.jpg (8393 bytes)


TEMPERAMENTO E COMPORTAMENTO DO LABRADOR
DÚVIDAS FREQÜENTES

Por Maíce Costa Carvalho & Maria Cecília Gonzaga (Interagro Labradors)


Diante do aumento de perguntas sobre comportamento, adestramento e desvios de temperamento na raça Labrador senti a necessidade de compilar as dúvidas mais freqüentes nesta edição especial do Labrador News.

Convivo com a raça desde 1984 tendo eu mesma "educado" e sociabilizado meus cães sem precisar contratar adestradores profissionais, obtendo em matérias publicadas na revistas especializadas e alguns livros sobre o assunto, as dicas fundamentais para corrigir os erros de treinamento. Isso aliado à ajuda de outros criadores e handlers com quem sempre troquei informações e que têm dicas excelentes para nos dar.

Com a ajuda da internet a vida de todos - cães rebeldes e donos aflitos - ficou ainda mais fácil! Há excelentes sites sobre cães com seções completíssimas de adestramento e comportamento. Os que mais consulto estão listados na Seção LINKS/Comportamento Animal & Adestramento, em especial The Dog's Times e Lord Cão, que além de tudo respondem nossas dúvidas via e-mail! Há também sites com uma biblioteca virtual e uma boa seleção de vídeos sobre adestramento e sobre a raça como a Petshopping.

Ter um cão de boa linhagem e temperamento equilibrado é o ponto de partida, fazer o cão compreender o que queremos e saber como ensiná-lo é a chave para a solução dos problemas. No entanto, precisamos fazer uma auto-avaliação sincera e reconhecer que, na maioria das vezes, o erro é nosso, dos donos - e não dos cães! Porque simplesmente não conseguimos nos fazer entender seja por falta de pulso firme seja por falta correção no momento certo. É quase impossível ter um cão mal educado, chato ou rebelde se seguirmos estes passos.

As perguntas mais frequentes foram respondidas com base na minha convivência e experiência com a raça nos últimos 17 anos, mas devo deixar claro que não sou adestradora, nem profissional ligada a área de comportamento animal, e por isso convidamos a adestradora Maíce Costa Carvalho, que trabalha com comportamento e adestramento há 4 anos, além de possuir uma enorme experiência com cães labradores para comentar e ajudar nas respostas. Prepare-se para aprender com os erros, dúvidas e problemas alheios!

Os erros mais comuns:

1. A raça indicada para você é o Labrador? Quais são suas expectativas em relação à raça?
Labrador não se presta à guarda, é grande, ativo e requer a presença constante dos donos. Um filhote não vem pronto, precisa ser educado e socializado por seus donos. Ter Labrador em apartamento é bem complicado e sua adaptação depende muito mais de você do que do animal. Leia DICAS E DÚVIDAS/LAB EM APARTAMENTO.

2. O Lab faz suas necessidades no lugar errado, apanha ou esfrega-se seu focinho no local e mesmo assim ele não aprende.
A memória deles é curta e nada adianta repreendê-lo depois de 08 segundos. Ele não vai associar que apanhou por causa da sujeira fora do lugar. Esfregar o focinho então, só colabora para o odioso hábito de coprofagia (comer as próprias fezes), já que o cão, na tentativa de "esconder" a sujeira de você, a come para não ter seu focinho esfregado naquilo!

Outro problema é o cão que começa a acreditar que o errado é "fazer xixi e cocô", e não fazê-los no lugar errado. Como ele não consegue "deixar de fazer o xixi e o cocô", ele começa a fazer em locais cada vez mais difíceis de serem encontrados. Ou seja: ele começa a fazer xixi e cocô escondido, o que dificulta, e muito, ensiná-lo a fazer no local certo.

Você já reparou quais são os "horários clássicos" que um filhote faz suas necessidades? Atente para isso para poder corrigi-lo na hora. Geralmente quando acordam, depois de comer e de brincar é fatal. Leve-o para o local designado por você como "banheiro" e fique com ele lá até que se alivie. Faça muitos elogios e dê um petisco a ele.

Se você só perceber que seu filhote está se preparando para fazer xixi ou cocô na hora H - neste caso, a movimentação do filhote é típica: ele começa a ficar de cócoras - pegue-o no colo e leve-o ao lugar certo. O importante é que você elogie muito seu filhote sempre que ele fizer xixi e cocô no lugar certo. Faça muita festa para ele, e dê um petisco assim que ele acabar de se aliviar. A questão fundamental é: corrigir o errado, e elogiar o certo!

3. O filhote não pára de chorar à noite.
A primeira dica é não adquirir filhotes com menos de 45-60 dias. Antes desta idade eles ainda estão se sociabilizando com os irmãozinhos. Traga o filhote para sua casa durante o dia para ele poder explorar o território e se sentir mais seguro à noite. Não fique com ele no colo até a hora de VOCÊ querer ir dormir, ele se sentirá abandonado. Alguns momentos por dia deixe-o sozinho em sua caminha ou local onde irá dormir com brinquedos, se ele choramingar dê bronca, mas não o conforte ou pegue no colo, senão toda vez que se sentir inseguro e/ou sozinho vai chorar pra que você corra em seu socorro!

Um rádio ligado em alguma estação AM - daquelas em que não param de falar - pode surtir efeito e ele achar que as pessoas da casa estão por perto. Um paninho com o cheiro dos irmãos de ninhada em sua caminha pode minimizar o problema também. Dar comida antes de colocá-lo para dormir também funciona bem.

4. Quando começar a educar o filhote?
Nunca é cedo demais para começar a educar o seu filhote. Assim que ele chegar em sua casa já é hora dele saber onde ele pode (ou não) ir, o que ele pode, ou não morder, etc. Nunca se esqueça que esse filhotinho vai crescer e se tornar um cão de porte médio. Portanto se ele não poderá subir no sofá quando for adulto, não há razão para que ele faça isso enquanto é filhote.

5. Como evitar que o labrador pule em você e nas visitas?
Quando seu labrador é ainda um filhotinho e pula em você, você acha uma gracinha, mas conforme ele for crescendo você começará a achar esse hábito insuportável. Corte essa brincadeira o quanto antes. Sempre que ele ameaçar pular em você dê-lhe as costas e afaste-se dele. Só volte a dar atenção ao seu filhote quando ele estiver no chão de novo. Desta forma você dá o incentivo necessário para que ele permaneça no chão ao brincar com você.

6. Labradores que tem o costume de morder. Como evitar?
Alguns Labradores mordem muito ao brincar. Para acabar com esse hábito temos que mostrar claramente ao cão que não gostamos disso. Chame-o para brincar, e espere até que ele tente te morder. Quando ele morder, diga um NÃO bem firme, afaste-o de você, e pare de brincar. Espere 15 segundos, e volte a dar atenção ao filhote de novo. Então repita o exercício: chame-o para brincar até que ele te morda; então pare a brincadeira, diga NÃO, e afaste-o de você. Não vai demorar muito para que ele perceba que o que faz você se afastar é a mordida dele. Ele fará novas tentativas, mas não dê trégua! Não permita nunca que seu cãozinho te morda, mesmo que de leve. Nunca se esqueça: ele vai crescer...

7. Como evitar que seu labrador seja muito agitado?
Brinque bastante com seu filhote, mas saiba a hora de parar. Filhotes são como crianças: ficam cansados muito rapidamente, mas não sabem a hora de parar a brincadeira. O labrador em especial é capaz de continuar uma brincadeira por muito tempo, mesmo estando exausto. Por isso, ao brincar com seu labrador fique bem atento a isto. Quando você perceber os primeiros sinais de cansaço, pare a brincadeira, e, se possível, comece a acarinhá-lo.

Alguns labradores são mais agitados, e precisam ser ensinados até mesmo a receber carinho. O melhor momento para isso é depois de uma boa brincadeira. Aproveite esse momento para começar a ensiná-lo. Se ele começar a se debater, segure-o suavemente em suas mãos para que ele fique quieto.

Enquanto fizer carinhos nele, fale suavemente com ele, dê um petisco e faça com que ele se acalme. Isso evita que ele fique muito agitado, e ao mesmo tempo promove um momento tranqüilo e entre você e seu cão. Se, no entanto ele começar a se debater demais, contente-se com pouco: espere que ele se acalme, e, se for preciso, segure-o com bastante firmeza. Assim que ele se acalmar, e só então, solte-o. Com o tempo ele irá debater-se menos, deixando que você o acaricie.

8. É fácil educar um labrador?
O Labrador é um dos cães mais inteligentes (está entre os 10 melhores no ranking de inteligência). Quando devidamente motivado, mostra-se muito obediente, prestativo, companheiro, tranqüilo. O problema mora justamente na dificuldade que certos donos têm ao se "comunicarem" com seus cães. É muito importante que usemos uma linguagem, ou uma forma de educar, que os cães consigam entender.

Recompense os comportamentos corretos do seu cachorro. Faça carinho, ofereça um petisco ou mesmo um brinquedo. Reprima os comportamentos que você não gosta nele. Desta forma fica claro a diferença entre o que você gosta e o que não gosta.

Ao dar uma ordem ao seu cão, diga palavras simples e claras. Frases longas não funcionam! Não "argumente" com seu cão, ele não tem esta compreensão. Se ele está em cima do sofá diga simplesmente "desce" ou "sai". Nunca diga "eu já falei que você não pode subir no sofá", pois ele vai saber que está tomando uma bronca, mas não vai saber o porquê. E quanto mais claro você for sobre o porquê da bronca, mais rapidamente ele abandonará tal atitude que você condena.

Dos vários e-mails que recebo sobre labradores e seu comportamento, existem algumas reclamações que são freqüentes. Vou analisar 2 destes e-mails mostrando as falhas e erros cometidos por estes proprietários.

1. Tenho um labradora amarela de 11 meses com pedigree, ela é muito agitada, não perde a mania de roer tudo que vê, ela destrói tudo. Já tentei até adestrá-la com um profissional durante esses últimos 3 meses, mas a  agitação não passa. Quando brigamos em voz alta, ela fica muito irritada e vem me morder, toda vez que brigo com ela, ela me encara e não tem medo de mim. E agora? O que mais devo fazer? Estou muito decepcionada com essa raça, apesar de ainda amá-la muito.

Pontos Importantes:

Este é um típico caso de uma proprietária que nunca conseguiu se impor sobre o cão. O cão faz o que quer, sem tomar conhecimento de seus donos. Gritar não vai adiantar em nada. A questão aqui é saber mostrar ao cão quem é que manda. Quando os proprietários não conseguem se impor, quem se sente no comando de tudo é o cão. Esta labradora em questão age como líder da matilha, por isso enfrenta sua dona.

Um adestramento bem feito teria trabalhado não só com a labradora, mas com a proprietária também. Ensinar esta proprietária a ser a líder em sua casa é fundamental. Se isso não ocorre, não há adestramento que funcione.

Para saber sobre a relação de liderança entre um cão e seu dono, leia os artigos "Quem é o Chefe?" e "A Importância da Liderança" no The Dog's Times.

2.  Tenho um Labrador chocolate que desde filhote é agitado. Por isso nós o colocamos para adestrar no sistema de internado, por 2 meses, com aulas com os donos duas vezes por semana. Ele voltou mais ou menos educado, obedecia alguns comandos; mesmo assim ele estranha todos até quando vamos passear, ele estranha as pessoas!!! Aqui em casa quando ameaçamos bater nele ele rosna mostrando todos os dentes!! Quando qualquer pessoa chega aqui em casa é aquele escândalo, ele fica querendo pegar a pessoa (a não ser quando é apresentado).
Acho que isso não é normal, pois vejo outros labradores na rua que eu posso abraçar, passar a mão e no meu cão ninguém pode nem nem olhar que ele rosna partindo para cima!!!

Pontos Importantes:

Este cão também se comporta como líder de matilha e determina até mesmo quem entra ou sai da casa. E seu proprietário é mais um dono que deixou que seu cão tomasse o comando da situação, e agora não sabe como voltar atrás. Da mesma forma que no e-mail anterior, este proprietário quis resolver o problema, mas ambos encontraram adestradores que não souberam assessorá-los devidamente. Resultado: eles gastaram dinheiro, mas ainda assim têm um cão que manda na casa.

Leia o nosso Manual do Filhote para ter mais dicas de como educar seu Labrador.

E veja os demais textos do nosso Lab News


Maíce Costa Carvalho  trabalha com comportamento e adestramento há 9 anos e é proprietária de 3 labradores - email: maice@dogtimes.com.br